SENAI marcou presença na Olimpíada do Conhecimento 2014, realizada em Belo Horizonte, de 1 a 7 de setembro.

Alunos e especialistas SENAI formaram um grande time reunido no stand “indústria do futuro”, um laboratório aberto onde o propósito era o de resolver problemas complexos de empresas parceiras. O primeiro dia de Olimpíada destinou-se à dinâmica para geração de ideias e, no segundo, houve a prototipação das ideias validadas, com o intuito de transformá-las em soluções reais para a indústria.

As empresas parceiras e seus respectivos desafios foram:Fiat, com “Como melhorar a eficiência da partida a frio do motor a etanol?”;  Vale, com  “Comunicação e automação em ambiente de mina”;  Natura,com“Como conectar pessoas distantes na hora do relaxamento e sono?”; e  3M, com“Como reduzir o ruído do secador de cabelo”.

No geral, foram geradas duas ideias para cada desafio, ideias que muitas vezesse complementavam e acabaram se tornando uma proposta única e mais robusta.O clima foi de grande colaboração, já que as empresas convidadas interagiram bastante com as equipes de ideação e prototipação, dando sugestões e compartilhando conhecimento.

Assista ao vídeo

Share Button

Wenovate e MDIC estiveram presentes no Seminário Nacional Anprotec, em Belém do Pará, de 22 a 26 de setembro

Inovação aberta, Redes e o Programa InovAtiva Brasil foram temas bordados por Bruno Rondani, em mini-curso realizado no dia 22. Abaixo a cobertura completa.

Ministrado pelo fundador e presidente do Wenovate, Bruno Rondani (foto), o minicurso “InovAtiva Brasil: capacitação, mentoria e conexão de negócios” apresentou o programa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior que teve sua edição piloto realizada no ano passado. O Wenovate – Open Innovation Center, atua como mentor e conselheiro de programas de incentivo ao empreendedorismo no País e é executor do InovAtiva. Assim, durante a atividade realizada nesta tarde (22), Rondani apresentou aos participantes a experiência do programa piloto de 2013 e as perspectivas para os resultados da edição deste ano.

O InovAtiva Brasil é uma plataforma que oferece aos empreendedores capacitação na forma de vídeos e webinars, além de outras funcionalidades, como blog e espaço para networking. Os selecionados têm acesso ao conteúdo que é produzido constantemente com apoio da própria comunidade de empreendedores de sucesso. A segunda etapa prevê que até 300 empreendedores aprovados recebam mentorias de especialistas. Os projetos inscritos precisam atender a alguns requisitos: ter alto impacto, ser inovador, ter caráter global.

“O programa oferece ao empreendedor conteúdo de capacitação, refinamento e aceleração do negócio, mentoria com especialistas e empreendedores de sucesso, conexão com instrumentos públicos de apoio e hubs internacionais”, explicou Rondani.

Em 2013, os 20 empreendedores finalistas receberam mentoria para falar com investidores. Em 2014, dos 1.200 projetos cadastrados na plataforma, 128 se qualificaram para receber mentoria de empreendedores, investidores e consultores. “Queremos aumentar muito o número de empreendedores impactados em 2014, na tentativa de tornar o programa ainda mais inclusivo”, concluiu.

Fonte: Débora Horn, do Relata Editorial

Mais informações

Share Button

Fase 1 do programa InovAtiva Brasil chega à reta final


No próximo dia 17 de agosto, o programa InovAtiva Brasil chega ao final da Fase 1, com mais de 5 mil empreendedores conectados em sua rede e mais de 700 projetos cadastrados. Desde o lançamento do programa, realizado em 29 de maio, os empreendedores que adentraram a plataforma tiveram a oportunidade de submeter suas ideias e projetos. E desde o início de junho, uma série de conteúdos de capacitação na linha MOOC (Massive Open Online Course) foi colocada à disposição dos participantes, na forma de vídeos e webinars semanais, divulgados nos canais Youtube e Vimeo Os conteúdos dos cursos foram elaborados por especialistas em empreendedorismo e também contaram com a colaboração de empreendedores que são referência no mercado e cederam seu tempo participando de entrevistas e debates.

Na Fase 2 do programa, os 300 projetos selecionados na primeira fase receberão mentoria individual gratuita por cerca de dois meses, por meio da ajuda de empreendedores, investidores, consultores de negócios e executivos. A ideia é aprimorarem o modelo de negócios de suas startups, que são empresas que buscam inovar com a oferta de produtos e serviços.

Após esse intenso processo de mentoria, os 100 empreendedores mais bem preparados serão selecionados para a Fase 3, na qual terão mentoria de prazo mais longo e a oportunidade de interagir com potenciais investidores e parceiros no Brasil e no exterior.

Vale lembrar que mesmo após o encerramento das inscrições, os participantes cadastrados continuarão tendo acesso aos materiais e aos canais de capacitação, bem como ao espaço Comunidade, onde é possível interagir com usuários afins, conectando-se por área de atuação e localização.

Fanpage do programa: https://www.facebook.com/InovativaBrasil?ref_type=bookmark.

Mais info: http://www.inovativabrasil.com.br

Share Button

GVcepe lança o Desafio Brasil 2014

Os principais clusteres de empreendedorismo e inovação do país se unem para realizar mais um ciclo do Desafio Brasil

São Paulo, agosto de 2014 – Realizado pelo Centro de Estudos em Private Equity e Venture Capital (GVcepe) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas  (FGV-EAESP) e executado pelo Wenovate, o Desafio Brasil chega a sua 9ª edição.

As inscrições abrem no dia 18 de agosto e poderão ser feitas através da plataforma online (https://desafiobrasil.induct.no).

A principal novidade da 9a edição é que os empreendedores de todo o Brasil poderão se inscrever submetendo seu projeto a um dos seis principais clusteres de empreendedorismo e inovação do País. As regionais serão organizadas por parceiros locais em Belo Horizonte (MG), Campinas (SP), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Recife (PE) e Rio de Janeiro (RJ). Os parceiros regionais irão disponibilizar especialistas de suas redes para avaliar e dar feedback aos projetos, oferecer mentoria, bancas de investidores e prêmios.

O programa pretende identificar os empreendedores com ideias e empresas mais inovadoras e de maior impacto. Qualquer pessoa que tenha propostas de como ajudar a solucionar os desafios da sociedade pode submeter seu projeto pelo portal do programa (http://desafiobr.com.br/). Os inscritos poderão construir suas ideias ao decorrer da competição, interagindo com demais empreendedores, avaliadores convidados, potenciais parceiros, clientes e investidores conforme os interesses dos participantes.

Segundo Bruno Rondani, coordenador nacional do Desafio Brasil e diretor do Wenovate, o programa é mais uma oportunidade para o empreendedor desenvolver seu negócio e ganhar a visibilidade que precisa para fazê-lo atingir todo o seu potencial de impacto. “Hoje são muitas as competições disponíveis para os empreendedores. O Desafio Brasil se destaca por ser mais do que uma competição, é uma porta de entrada para novos empreendedores se integrarem às principais comunidades de inovação e empreendedorismo do país ”, diz Rondani.

Interessados se conectar ao Desafio Brasil 2014 devem acessar o site (http://desafiobr.com.br/) até o dia 24 de Setembro e compartilhar sua ideia.

A final nacional acontecerá no Open Innovation Week, evento organizado pelo Wenovate em São Paulo nos dias 2, 3 e 4 de dezembro.

Sobre o Desafio Brasil

O primeiro programa de fomento à inovação e empreendedorismo de alto impacto no País, o Desafio Brasil, tem como objetivo promover a educação e a capacitação de empreendedores, bem como, introduzir a cultura do empreendedorismo, do venture capital e da inovação em âmbito nacional.

Em 2013, o Desafio Brasil alcançou, pela segunda vez consecutiva, 26 estados brasileiros e o Distrito Federal. Naquele ano, foram realizadas doze regionais. Como resultado, a competição registrou um recorde no número de inscrições envolvendo 5.150 empreendedores.

Sobre o GVcepe

O Centro de Estudos em Private Equity e Venture Capital (GVcepe) é o principal e mais confiável centro de pesquisas e dados a respeito da indústria de Private Equity e Venture Capital do Brasil. Desde 2003, promove projetos nas áreas de inovação, modernização dos negócios e desenvolvimento econômico através de competições, educação e capacitação. O centro tem como visão se tornar uma referência global de informações para empreendedores, investidores, parceiros e governos, sendo reconhecido internacionalmente por sua excelência e disseminação de conhecimento.

Sobre a FGV-EAESP

Criada em 1954, a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) foi a primeira escola de administração fundada na América Latina e mantém uma longa tradição na formação de líderes na área empresarial, governamental e acadêmica. Conhecida como um dos centros acadêmicos de maior prestígio nas áreas de Negócios e Administração Pública, a Escola se caracteriza pelo constante desenvolvimento de pesquisas e estudos pioneiros e pela vanguarda do conhecimento aplicado, divulgados em publicações e projetos realizados em seus diversos Centros de Pesquisas. Nos últimos anos, vários programas de seu portfólio de cursos foram listados em diversos rankings nacionais e internacionais. A FGV-EAESP se destaca como a Melhor Escola de Negócios no Brasil, com nota máxima na avaliação do MEC e como a 1ª instituição da América Latina e uma das poucas no mundo a obter a tríplice acreditação internacional de qualidade de ensino, que inclui o reconhecimento das seguintes agências: AACSB, EFMD e AMBA.

Share Button

Câmara Brasil-Alemanha premia iniciativas inovadoras


Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação tem inscrições abertas até 22 de agosto

As inscrições para o Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação de 2014 estão abertas até 22 de agosto por meio do site www.inobrasilalemanha.com.br. Criado pelo Departamento de Inovação e Tecnologia da Câmara Brasil-Alemanha (AHK-SP), o Prêmio visa identificar e reconhecer esforços inovadores realizados por empresas brasileiras e alemãs instaladas no Brasil.

Os projetos serão avaliados pelo seu grau de inovação e por aspectos como ineditismo, impacto na empresa, na sociedade e no meio ambiente, assim como possíveis relações com instituições alemãs utilizadas para o seu desenvolvimento.

Para Sofhia Harbs, diretora do Departamento de Inovação da AHK-SP, “o Prêmio é uma iniciativa que objetiva aumentar a visibilidade de projetos inovadores desenvolvidos no Brasil, incentivando o crescimento da competitividade através da inovação e apoiando o intercâmbio tecnológico e de conhecimento entre o Brasil e a Alemanha”.

Além da grande visibilidade e exposição a oportunidades de parcerias e negócios, as três primeiras colocadas no Prêmio receberão uma avaliação pela Porsche Consulting, envolvendo diagnóstico e consultoria. A grande vencedora terá o direito de indicar um representante para uma viagem à Alemanha, para participação em feira internacional (a ser definida pela AHK-SP de acordo com sua área de atuação).

Sobre a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK)

A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK) é uma entidade que desenvolve um papel essencial no fomento das relações econômicas entre os dois países. Filiada à Confederação Alemã das Câmaras de Comércio e Indústria (DIHK), a Câmara Brasil-Alemanha atua como base para o fortalecimento e a diversificação dos negócios de seus associados, na atração de investimentos para o Brasil, na ampliação do comércio bilateral e na cooperação entre os países do Mercosul e da União Europeia.

No Brasil há 98 anos, a Câmara Brasil-Alemanha congrega 1.700 associados, entre empresas de capital ou know how alemão instaladas no Brasil e companhias brasileiras e alemãs voltadas ao comércio exterior, e conta com 220 funcionários atuando em 14 cidades brasileiras. Por meio da Câmara Brasil-Alemanha, os associados se beneficiam de uma rede de mais de 114 câmaras espalhadas em 81 países, além de 83 entidades do gênero na Alemanha.

Informações à imprensa:
Silvia Russo – (11) 5187-5134 / jornalista@ahkbrasil.com

Share Button

Núcleo de Inovação da Natura comemora dois anos dois anos de atuação na Amazônia


Parceria com a FAPEAM, comunidades e o programa de bolsistas in company são algumas das ações implementadas na região com apoio da multinacional brasileira de cosméticos.

O Núcleo de Inovação Natura Amazônia (NINA) comemora dois anos de atuação na Amazônia no dia 16 de agosto. Neste período, a unidade da Natura realizou projetos que contribuíram para a inovação e desenvolvimento da Amazônia. Dentre elas, estão a parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), a organização do Prêmio Ingredientes Vegetais Amazônicos e a expansão de parcerias junto às comunidades extrativistas da região. Com sede em Manaus (AM), o NINA faz parte do Programa Amazônia da Natura e tem como missão contribuir com o desenvolvimento do sistema regional de inovação através de sua atuação em rede, junto aos demais atores desse sistema, no desenvolvimento inovação a partir de oportunidades relacionadas à sociobiodiversidade amazônica.

Por meio da parceria com a FAPEAM, foram promovidas iniciativas conjuntas para o desenvolvimento de competências nos profissionais que desejam atuar no estado do Amazonas com a gestão da inovação e transferência de tecnologia. Atualmente, o NINA conta com quatro bolsistas que, ao mesmo tempo em que desenvolvem projetos de interesse para a companhia, ampliam competências para a inovação e o desenvolvimento tecnológico.

Para a bolsista Marta Siza, o grande diferencial é a oportunidade de vivenciar toda esta experiência dentro de uma empresa que é referencia nos segmentos de inovação e sustentabilidade. “Isso agrega muito mais valor ao conhecimento que estamos adquirindo aqui”, pontua. E a bolsista Juliana Barros, não pensou duas vezes para se candidatar. “Na academia nós vemos a teoria e aqui temos contato com a boa prática. Esse é o maior diferencial, poder desenvolver um projeto de formação dentro da empresa”, revela.

O ineditismo dessa ação reforça o papel que a Natura desempenha como articuladora de inovação na região Norte. “No NINA, as bolsistas participam da parte prática de todos os processos relacionados a um projeto. Elas integram workshops e treinamentos, que certamente contribuem de forma diferenciada para esta capacitação”, explica o gerente geral do NINA, Iguatemi Costa.

No mês de aniversário do NINA haverá uma apresentação formal dos resultados parciais desse programa para os principais executivos da Natura a diretoria da FAPEAM. “Na ocasião, também deverá ser ratificada entre as partes a continuidade do programa com objetivo de reforçar o desenvolvimento tecnológico, tão relevante para o sistema de inovação regional”, adiantou Costa.

No mês de julho também foi firmada uma parceria que irá oferecer mais de 30 bolsas de várias modalidades que serão implementadas nos projetos científicos desenvolvidos pela Natura e parceiros na região. “A parceria consolida o relacionamento desenvolvido com a FAPEAM ao longo dos dois anos do NINA e apresente saldo bastante positivo no que se refere à estratégia da Natura para alavancar projetos de desenvolvimento na Amazônia”, disse o gerente.

Com o objetivo de fomentar o desenvolvimento de novas pesquisas, o NINA possui parcerias também com outras instituições locais: a Universidade Federal do Amazonas (UFAM), o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA).

Prêmio Ingredientes Vegetais Amazônicos

Outra ação do NINA focou na valorização do pesquisador e da sua pesquisa. No início do ano, a Natura anunciou a vencedora do Prêmio Natura Campus de Ingredientes Vegetais Amazônicos, a pesquisadora Ana Cristina da Silva Pinto, bolsista do Programa de Capacitação Institucional (PCI), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). A pesquisadora concorreu com o projeto de um repelente e inseticida natural no combate aos mosquitos da dengue e malária, tendo como ingrediente principal a pimenta-de-macaco (Piper aduncum).

A iniciativa recebeu 30 inscrições e as propostas foram avaliadas por uma banca científica mista composta por cinco pesquisadores, sendo três da Natura e dois estudiosos brasileiros da área de produtos naturais e farmacognosia, que se reuniram durante dois dias em Manaus para avaliação cuidadosa do material submetido. O processo de avaliação focou na qualidade dos ingredientes apresentados, independente da aplicação em cosméticos, além da quantidade de ingredientes utilizados na pesquisa.

“Vencer essa premiação, concorrendo com pesquisadores de toda a Amazônia foi muito importante. Serviu como reconhecimento profissional na minha carreira como pesquisadora recém-formada”, comenta Ana Cristina, que informou que graças ao prêmio, no valor de R$ 30 mil, será possível investir na continuidade da outra etapa da pesquisa sobre o tempo de ação do produto desenvolvido, além de ampliar o estudo para outras espécies de plantas.

O Prêmio Ingredientes Vegetais Amazônicos visa reconhecer pesquisadores da região amazônica que acreditam e investem no uso sustentável da biodiversidade brasileira e que contribuíram para o avanço da ciência através do desenvolvimento de ingredientes vegetais do Bioma Amazônico.

Comunidades Extrativistas

A Natura elegeu a região amazônica como um dos territórios prioritários de sua expansão. Dentro de um modelo sustentável, sem colocar em risco a maior floresta tropical do mundo, a empresa obtém insumos para seus produtos e, em contrapartida, oferece uma série de benefícios às comunidades extrativistas.

Somado ao mais recente empreendimento do Programa Amazônia na região, inaugurado em março deste ano, o Ecoparque, a nova fábrica de sabonetes da empresa, será possível triplicar a produção até 2015, ampliar o uso de insumos e reduzir os custos pela concentração do processo industrial próximo a cadeia de fornecimento.

Atualmente, a Natura trabalha em parceria com 25 comunidades no Amazonas e no Pará, beneficiando 2.171 famílias. E esse número deve aumentar nos próximos meses com a implantação de projetos previstos pelo Programa Amazônia. Entre os benefícios recebidos estão os cursos de capacitação para formar lideranças e subsídios para formação de associações ou cooperativas que intermediam a relação da comunidade com a Natura e com o restante do mercado. Além disso, a empresa ainda proporciona à população local capacitações técnicas de produção agrícola ou extrativismo e beneficiamento das matérias-primas cultivadas pelas comunidades.

“A nossa meta é que o NINA se torne um aliado no desenvolvimento da Amazônia, através das suas ações de fomento à pesquisa e inovação e, com os resultados que temos alcançados, acredito que estamos no caminho certo. Há dois anos assumimos o compromisso de estimular o crescimento do ambiente científico local e essa meta será permanente”, apontou Iguatemi Costa.

Assessoria de Imprensa Natura
Ester Ferreira | (11) 3094.2258 |  ester.ferreira@bm.com

Share Button

Ações da Allagi crescem no estado de Minas, com novos clientes e operação local.

Anderson Rossi, consultor e professor na área da gestão da Inovação, está no comando das ações da empresa em duas frente distintas. A primeira diz respeito a projetos de fomento à Inovação, junto aos principais agentes do sistema Nacional de Inovação, bem como à Lei do Bem. A segunda está diretamente ligada ao processo de consultoria em gestão da Inovação, geração de ideias e projetos para fortalecimento da cultura de Inovação.

Share Button

Lei do bem: atenção ao prazo para entrega da DIPJ

A pessoa jurídica que usufrui os incentivos fiscais à inovação tecnológica deverá prestar informações sobre os valores de incentivos aproveitados na DIPJ do ano-calendário respectivo, até o último dia útil do mês de junho do ano seguinte. O prazo para entrega da DIPJ 2014 é 30/06/2014.

Share Button

Mais um artigo publicado com sucesso

No último dia 20 de maio, recebemos a notícia da aprovação e publicação do artigo denominado “Inovação responsável além das fronteiras: tensões, paradoxos e possibilidades” no Journal of Responsible Innovation, que contou com a participação do Wenovate. O artigo está disponível no link:  http://dx.doi.org/10.1080/23299460.2014.922249

Share Button

Natura abre centro de inovação em Nova Iorque

A multinacional brasileira de cosméticos Natura inaugurou no dia 3 de fevereiro, centro de inovação em Nova Iorque. Iniciativa visa identificar tendências, oportunidades e novos conceitos conectando cosmética, design, moda e tecnologia para desenvolver protótipos inovadores. Continuar lendo

Share Button