Especial Open Innovation Week 2014

ed035_logoOIW20147ª edição da Open Innovation Week será uma semana dedicada inteiramente à colaboração e à geração de ideias

Caros amigos da inovação,

É com grande alegria e entusiasmo que, mais uma vez, trazemos a vocês a Open Innovation Week, uma semana construída a muitas mãos, mentes e corações, dedicada a debates em torno da conexão entre redes e comunidades que praticam inovação em suas mais variadas formas. Novamente estaremos em São Paulo, no WTC, só que desta vez de 1 a 4 de dezembro.

Como nas edições anteriores, o Open Innovation Seminar abre a semana no dia 1 de dezembro, tendo como tema central “As novas práticas da interatividade social e como isso tem impactado os modelos de inovação corporativa e empreendedora”. O seminário é o grande destaque da OIW por reunir e envolver representantes das diferentes comunidades inovadoras em debates aprofundados e discussões sobre as novas práticas de inovação.

ed35_graficoOIW2014

Outra atração da semana em 2014 é o Congresso de Inovação Brasil-Alemanha. O programa estará integrado à OIW e contará com representantes de alto nível da indústria, da pesquisa aplicada, empreendedores e facilitadores da inovação dos dois países, que irão responder as seguintes questões: como a indústria pode aumentar sua competitividade pelo uso de novas tecnologias e soluções inovadoras? Como as barreiras entre o ‘mundo acadêmico’ e o ‘mundo prático’ podem ser superadas? O que pode ajudar empresas inovadoras a crescerem e manterem o sucesso de seus negócios?

O congresso abre ainda o debate da inovação tecnológica na indústria brasileira através da cooperação entre empresas e instituições de P&D, e da inovação organizacional e de modelo de negócios em empresas pela sistemática da gestão do ‘Capital Intelectual’. Será apresentado o case do planejamento e implementação dos 23 institutos de Inovação junto ao SENAI no Brasil, além da demonstração da metodologia ICS (Intellectual Capital Statements) aplicada como piloto em 10 micro e pequenas empresas do setor de óleo e gás.

No segundo dia, acontecerá o SPEI - Seminário de Políticas Públicas e Ecossistemas de Inovação, onde a comunidade da inovação irá discutir e desenvolver, em um momento muito propício, propostas de reformulação das atuais políticas públicas às autoridades que irão compor o novo ciclo de governos federal e estadual.

Uma atração à parte será o Workshop Design for Environment, que acontecerá nos dias 3 e 4 de dezembro. Parte dos problemas ambientais da atualidade tem origem em procedimentos que desconsideram o impacto na hora de projetar, manufaturar e vender bens e serviços. O Design para o Meio-Ambiente representa uma tendência mundial nos campos da arquitetura, engenharia e design, cujo objetivo é desenvolver produtos e serviços que reduzam o uso de recursos não-renováveis. O workshop visa fomentar a discussão técnica e legal sobre o tema, compartilhar as melhores práticas mundiais e disseminar este novo conceito em nossa indústria.

Durante todo o evento, haverá ainda as Open Innovation Arenas. Metodologia de encontros que objetiva reunir grupos diversificados de organizações para a compreensão e definição de desafios comuns que possam orientar e incentivar programas colaborativos de inovação.

Programas colaborativos também terão seu espaço, como é o caso do Grand Prix de Inovação, competição com 72 horas consecutivas de desafios, disputados por equipes multidisciplinares, onde é possível o espectador experimentar inovação em tempo real, do esboço ao protótipo. Neste processo, empresas, pesquisadores e empreendedores poderão identificar e definir desafios comuns e de interesse da sociedade, compartilhando conhecimento e criando novos modelos de negócio para exploração das inovações.

O foco do universo do empreendedorismo ficará nas dinâmicas propostas durante a 100 Open Startups e o Encontro de Empreendedorismo Inovador. Essas atividades promoverão encontros onde diferentes iniciativas e programas nacionais e internacionais voltados à capacitação e à criação de comunidades de empreendedorismo terão a oportunidade de interagir com potenciais clientes, investidores e parceiros na construção de novas conexões capazes de alavancar negócios. O objetivo é maximizar oportunidades de interação entre empreendedores e diferentes representantes de startups, especialistas, grandes empresas, venture capitalists, investidores-anjos, comunidade científica, órgãos de fomento e mídia.

Neste Encontro acontecerão:

Final Nacional do Desafio Brasil – 30 startups, vencedoras dos desafios regionais, dos seis principais ‘clusteres’ brasileiros, irão interagir com o público do evento de forma a se prepararem para a banca de juízes formada pelos principais venture capitalists do País. O grande prêmio é representar o Brasil na competição global SeedStars World em Genebra.

Desafio Cidades Inovadoras – As 10 melhores startups do Brasil com soluções para os desafios das grandes cidades serão apresentadas ao público e terão oportunidade de apresentar seus ‘pitches’ para executivos de grandes empresas e investidores ali presentes. Participarão dessa atividade empresas como a IBM, Embraer, Intel, Evonik, Shell, Andrade Gutierrez, Fiat, Siemens e Telefônica.

Desafio Inovação na Educação - O SENAI, a Estácio de Sá, a Metodista e a FGV irão interagir com startups brasileiras que apresentem propostas e soluções capazes de contribuir para a inovação no ensino. Vivemos um cenário de grandes mudanças no Brasil e no mundo: novas tecnologias e mudanças no estilo de vida permitem e, ao mesmo tempo, exigem maneiras novas de aprender e compartilhar conhecimento. Dado este cenário o desafio proposto foi: Como preparar o profissional do futuro?

Desafio E-Health - O Fleury Medicina e Saúde e o Hospital Israelita Albert Einstein irão interagir com as startups brasileiras que apresentam propostas e soluções capazes de contribuir para a inovação em e-health. Alguns dos principais desafios em saúde envolvem a redução de custos; aumento de segurança, confiança e integridade dos sistemas; mobilidade urbana; melhoria dos serviços de saúde; interoperabilidade entre os sistemas; maior abrangência e qualificação do acesso aos serviços de saúde; educação para promoção e prevenção; e escalabilidade com impacto.

Desafio Digital Applications - A CI&T, multinacional brasileira do setor de software, busca parcerias com startups que tenham interesse na realização de negócios em conjunto, em desafios encontrados pela CI&T no mercado. O Desafio tem como objetivo desenvolver negócios com startups cujas soluções ou expertise possam ser aplicados à resolução de problemas de mercado para empresas que atuam nos segmentos de Seguros, E-commerce, Financeiro e Utilities.

Pitch The Editor / Pequenas Empresas, Grandes Negócios – Serão selecionadas, no evento, as 3 startups mais inovadoras e conectadas para serem fonte de matérias da próxima edição da revista editorada pela Globo.

Agradecemos a todos que, de algum modo, participaram desta construção e esperamos contar com todos lá, contribuindo com os debates, ampliando as conexões e enriquecendo os resultados para que tenhamos uma OIW relevante para cada um!

Um grande abraço,

Carla Colonna
Equipe de Execução OIW 2014 – 7ª Open Innovation Week

Share Button

Wenovando no Empreendedorismo


ed033_art

Nos últimos três meses, concentramos nossos esforços em uma nova frente de trabalho que abraçamos com muita satisfação, o Programa InovAtiva Brasil 2014, uma iniciativa do MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, para capacitar empreendedores e acelerar seus negócios em todo o país, executado pelo Wenovate – Open Innovation Center.

Alegria de um lado, dedicação de outro, foram e têm sido dias que exigiram atenção dobrada de nossas equipes junto ao cliente e a parceiros, além de todos os envolvidos neste grande consórcio, no qual entramos para contribuir com nosso expertise na criação de redes colaborativas, ativação e animação destas redes, além de outras metodologias em inovação aberta.

Passado o evento de lançamento, que também nos envolveu fortemente neste período, voltamos com uma edição especial do Boletim Inovação Aberta, dando destaque ao empreendedorismo inovador, por meio de matérias, entrevistas e notícias relacionadas, além da cobertura completa do evento realizado no dia 29 de maio.

Esperamos tê-los conosco, mais uma vez, dando sua opinião no blog, comentando em nossa página do facebook e interagindo em todos os canais Wenovate.

Um grande abraço!

Share Button

MDIC e Wenovate lançam InovAtiva Brasil 2014


ed033_inonativa

Empreendedores inovadores com grandes ideias terão uma importante ferramenta para alavancar seus negócios. Trata-se do programa InovAtiva Brasil 2014, uma iniciativa do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), executado pelo Wenovate – Open Innovation Center. Lançado no último dia 29, em São Paulo, o programa foi elaborado em parceria com McKinsey&Company, Endeavor e SENAI.

O InovAtiva Brasil será totalmente gratuito e oferece capacitação em gestão empresarial a empreendedores de negócios inovadores. O acesso é feito pela internet na modalidade de cursos MOOC (massive online open courses) e utiliza material audiovisual e textos focados nas melhores e mais modernas práticas empresariais. As incrições começaram no dia 02 de junho e encerram-se no dia 31 de julho.

Na primeira fase, que será totalmente online, todos os inscritos terão acesso ao material de capacitação, preparado pelo especialista em empreendedorismo Marcelo Nakagawa. Os trezentos projetos que demonstrarem maior potencial serão selecionados para a segunda fase, quando os empreendedores receberão apoio presencial e individualizado de mentores ­­- empreendedores bem sucedidos, executivos de grandes empresas e consultores de mercado.

inovativa_1Após a etapa de mentoria, os empreendedores mais bem preparados avançam para uma terceira fase em que têm a oportunidade de interagir com potenciais investidores e parceiros. A capacitação nesta fase consiste em bootcamps, bem como na apresentação das empresas para bancas de empreendedores e potenciais investidores.

Além de universal e gratuito, o formato do programa é também inédito no mundo. “Já encontramos sites de capacitação, competições de start-ups, plataformas de mentoria e plataformas de conexão com investidores. Mas nada como o InovAtiva, que junta tudo isso em uma coisa só”, afirmou Marcos Vinícius, Diretor de Fomento à Inovação do MDIC.

A cerimônia de lançamento foi realizada no prédio da Confederação Nacional da Indústria, em São Paulo, e contou com a presença do Ministro do Desenvolvimento Indústria e Coméricio Exterior, Mauro Borges Lemos, o presidente do Wenovate, Bruno Rondani, além de representantes do SENAI, McKinsey&Company, Endeavor e outras empresas.

inovativa_2Em pronunciamento, o Ministro Mauro Borges destacou a importância de um programa como o InovAtiva para que o sistema brasileiro de inovação, ainda precário em estrutura, alcance maior maturidade. “É como se a inovação no Brasil fosse uma onda enorme, mas o inovador aqui tivesse apenas uma prancha rudimentar para surfá-la”.

Ele também ressaltou a necessidade do conhecimento na área de negócios para que projetos inovadores prosperem. “Temos, por exemplo, uma grande capacidade instalada na área de pesquisa nas universidades, mas não temos muitos empreendedores com uma boa formação na área de negócios. Essa é a demanda que o programa veio suprir”.

De acordo com o gerente de operações do SENAI, Gustavo Leal, a parceria com o MDIC é fundamental, pois abre-se uma enorme janela de oportunidades para envolver outros atores no processo de inovação. “Deixa de ser um apoio somente técnico e passa a envolver aspectos de empreendedorismo e investimentos, que são fundamentais para o sucesso dessa ação”.

inovativa_3Romero Rodrigues, CEO e fundador do Buscapé Company, também estava presente na cerimônia de lançamento do InovAtiva e falou da sua própria experiência para ilustrar a importância da capacitação para a inovação. “Quando conseguimos o nosso primeiro investimento, não pensamos apenas na parte estritamente financeira: escolhemos um investidor que trabalhava com um grupo de pessoas que tinham vindo de banco, consultoria, que tinham contatos com fundo de investimento, e assim podiam, mais do que com dinheiro, ajudar com ideias e práticas de gestão”.

Vitrine para Grandes Empresas

Para Bruno Rondani, presidente do Wenovate, organização responsável pela execução das três fases do programa, há uma necessidade das grandes empresas no Brasil de se conectar com start-ups. “Quando as empresas começaram a nos procurar, nós focávamos sempre em parcerias com universidades, tentando envolver pesquisadores em seus programas internos. Porém, nos últimos anos, elas têm procurado se conectar também com comunidades de empreendedores. Nós criamos alternativas para que essa interação aconteça, e sempre da maneira mais horizontal possível”.

Luís Cassinelli, diretor de inovação corporativa da Braskem, destaca a complementaridade entre as grandes empresas e start-ups. “No dia a dia, a grande empresa está muito preocupada com o seu core business, aquilo que faz ela gerar caixa. Já a start-up precisa partir de um negócio novo para competir dentro do mercado. A questão toda é encontrar sinergia entre estas duas coisas”.

Para ele, o InovAtiva Brasil pode servir como vitrine para pequenos empreendedores, o que pode gerar esse link com as grandes empresas. “Muitas empresas pequenas têm boas tecnologias e não conseguem expor no mercado seu potencial. É muito importante você ter alguém que faça essa conexão. Essa tecnologia pode ser de extremo interesse de uma grande empresa”.

InovAtiva 2013

Em 2013, a edição piloto do InovAtiva Brasil teve cerca de 3,5 mil empreendedores inscritos de 350 municípios e 24 estados. Foram 1.635 projetos submetidos na primeira fase, 50 selecionados para a segunda etapa e 20 para a terceira.  Outros números também chamam a atenção, como a participação de 2 mil pessoas nos eventos de  divulgação, 210 mil visitas ao site oficial do programa e 6,6 mil curtidas no Facebook.

Um dos finalistas do InovAtiva Brasil em 2013, Rui Miadaira, conta que a participação no  programa foi um impulso na busca por um sonho. “Foram poucos meses em que aceleramos pelo menos uns três anos de aprendizado. E só quem empreende sabe o real valor do tempo”, comentou.

Entre os projetos inscritos para a primeira edição do InovAtiva, o setor com maior representatividade foi o de internet e software (43% do total), seguido pelo de varejo e serviços (21%), ambiental (4%), indústria de transformação (3%), biotecnologia e fármacos (2%) e eletrônicos (2%).

Acesse o portal e assista o vídeo de lançamento do Programa.

Share Button

Desafio Intel 2014: final da etapa Brasil é marcada por clima de colaboração


ed033_desafiointel

Na última quinta-feira, dia 05 de junho, aconteceu em São Paulo a final do Desafio Intel LAR 2014 – Etapa Brasil. Realizado pela Intel, a iniciativa conta com a correalização do Wenovate responsável pela metodologia, rede de mentores, avaliadores e banca final.

Em sua 9ª edição, o programa que surgiu como Desafio Brasil através de uma parceria com a FGV, mantém seu objetivo de fomentar o ecossistema e nesse ano novamente incentiva empreendedores de alto impacto que possuam negócios e soluções alinhadas à estratégia corporativa da Intel.  Com a contribuição do Wenovate, o evento esse ano foi marcado pela colaboração entre os finalistas e a rica troca de experiências incentivada através das atividades incluídas na programação.

O evento foi aberto por Steve Long, VP da Intel América Latina. “Empreendedorismo é parte do que somos, temos uma meta ambiciosa e certamente teremos que nos arriscar, ter perseverança e paixão para chegarmos lá”, ressaltou.

Na sequência, Ricardo Arantes, diretor de investimentos da Intel Capital, apresentou os números de Venture Capital da companhia no Brasil e no mundo. “A Intel Capital tem atualmente mais de 400 empresas no seu portfólio. No Brasil, em 14 anos de atuação, fizemos 20 investimentos e 8 saídas”, lembrou o executivo.

Em seguida os empreendedores do desafio deram início aos pitchs diante da banca avaliadora e demais participantes. Na banca estavam Bruno Rondani (Wenovate), Rafael Levy (Allagi), Gustavo Goldenberg (SPventures) e Rafael Campos (Effectua Capital). No total foram 9 finalistas a se apresentarem:

ed033_desafiointel21José Henrique Fernandes, da Bliive, falou sobre sua plataforma colaborativa de troca de tempo. Marques Zahdi e Luiz Gustavo Maia, da Antares, mostraram os detalhes de sua plataforma de jogos educativos. Os fundadores da Project Robot, Antonio H. Dianim e Felipe Leal, apresentaram o pitch sobre o empreendimento que desenvolve robôs com interface amigável, interatividade e design simpatizante. Na área de agrobusiness, Karin Cervera apresentou sua startup com Evandro Gomes, a AGVET. Juntos eles desenvolvem a ferramenta AIT para monitoramento do mercado agropecuário em real time. O empreendedor Ricardo Serro da startup Bons Treinos desenvolveu um aplicativo que mantém as pessoas fisicamente ativas e apresentou detalhes do negócio para os juízes da final do Desafio Intel 2014. Thiago Kist Gonçalves, CEO da Kist Company, e seu time apresentaram o Manago Live, uma tecnologia (equipamento all-in-one) para portabilizar e acessibilizar transmissões em live streaming. Celio Souza apresentou o pitch da Cherub, plataforma educacional para educação básica. Orlando Purim, da ATAR Technologies, explicou a inovação de sua tecnologia, o Atar Ring, um anel que substitui os itens que a pessoa carrega em seu bolso e senhas que precisa lembrar. Alexandre Kanas e Gabriel Liguori representaram a startup Adoleta, com um aplicativo que permite o acompanhamento da saúde da criança, integrando pais e filhos.

O grande vencedor foi a plataforma colaborativa Bliive, com sua proposta de “troca de tempo” entre usuários. Neste ambiente qualquer pessoa pode colocar seu tempo à disposição oferecendo horas de algo que saiba fazer e queira ensinar nas mais diversas áreas (esportes, idiomas, artes etc.). Ao disponibilizar seu tempo, o usuário adquire uma pontuação ou moeda de troca que pode ser utilizada para comprar horas de outro usuário. Mais informações podem ser acessadas em www.bliive.com. Ao final do evento todos os empreendedores que competiram receberam placas de finalistas.

Os 8 vencedores, um de cada país participante, se reunirão para o YouNoodle Camp no Vale do Silício em Julho de 2014, com viagem, hospedagem e bolsa de estudos pagos. Após esta viagem, os 5 vencedores ganharão também uma segunda oportunidade de vivenciar o ecossistema de empreendedorismo do Vale do Silício para participar do Intel Global Challenge na Universidade de Berkeley em Outubro de 2014.

Os semifinalistas criarão um grupo para que as experiências e conhecimentos do vencedor no Vale do Silício sejam compartilhados com os outros semifinalistas que não tiveram a oportunidade de ganhar a viagem.

Share Button

Bate-papo com Steve Blank sobre Henry Ford e Steve Jobs, por Bruno Rondani

Nos últimos anos Steve Blank ganhou grande notoriedade no mundo do empreendedorismo, com sua metodologia de Customer Development e com o movimento da lean startup. Seu manifesto “Ouça os clientes” vem a contradizer a conhecida máxima de Henry Ford “Se eu perguntasse a meus compradores o que eles queriam, teriam dito que era um cavalo mais rápido” renovada depois por Steve Jobs com a frase “As pessoas não sabem o que querem, até mostrarmos a elas”.

Continuar lendo

Share Button

Especial Open Innovation Week 2013 – 6ª edição do Open Innovation Week é construída com base colaborativa e apresenta debates profundos sobre inovação aberta

Caros amigos da inovação,

Fazer eventos nunca é fácil, muito menos quando se trata de fazer um evento colaborativo. Contabilizamos a contribuição concreta de mais de 500 pessoas que, ao longo do ano, mantiveram diálogo aberto conosco da equipe do Wenovate para construir a 6ª edição do Open Innovation Week.

Foram muitas consultas, conversas e ideias. Essas ideias se transformaram em projetos e esses projetos foram apresentados para inúmeros parceiros no Brasil e mundo afora. O objetivo desses projetos é continuar a estimular a colaboração entre diferentes comunidades, organizações e indivíduos, tendo o evento como ponto de encontro, mas não como fim em si mesmo.

Continuar lendo

Share Button