Desafio Brasil

Start-Up Carioca é a vencedora do Desafio Brasil

A competição levará a empresa para representar o Brasil em evento de inovação aberta na Suíça

ed36_dbUma empresa carioca foi a grande estrela de um dos momentos mais esperados da Open Innovation Week. Após uma longa disputa que recebeu mais de mil propostas, a startup Ploog, que criou uma solução corporativa e educacional para armazenar dados em um dispositivo, se sagrou campeã do 9º Desafio Brasil. A Ploog representará o Brasil na competição mundial de start-ups SeedStars World, que acontecerá em Genebra, Suíça, em fevereiro.

A final do Desafio Brasil foi a última etapa de uma competição que começou em abril, com startups de todo o país submetendo projetos. Após uma primeira seleção, 65 empresas foram escolhidas para se apresentar nas finais regionais em seis clusters, em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Campinas, Florianópolis, Curitiba e Recife. Em cada uma destas etapas, cinco startups foram escolhidas para participar da final nacional, que foi realizada na Open Innovation Week (OIW).

A vencedora Ploog

A Ploog é uma empresa com sede no Rio de Janeiro que criou um dispositivo que permite levar seu desktop, de maneira segura, para qualquer lugar. Com isso, é possível acessar seus dados e documentos digitais em qualquer computador, independentemente do sistema operacional instalado. O dispositivo também protege seus dados de ameaças virtuais e eventuais problemas no hardware das máquinas em uso.

Hugo Heiji, CEO da Ploog, conta que participações em competições como o Desafio Brasil alavancam o negócio e abrem portas. “O prêmio traz reconhecimento para o projeto que criamos, principalmente por ter vindo de uma banca como a da OIW, com membros de grandes empresas nacionais e internacionais. Levamos daqui amizades, contatos, possíveis clientes e mentores. Vivenciamos, de fato, a cultura do empreendedorismo”, conta.

Além do primeiro lugar no Desafio Brasil e passagem para o SeedStars World, a startup recebeu convites para participar do edital de inovação do Senai e para um bootcamp no Chile, oferecido pela Exosphere, empresa conceituada de consultoria e inovação.

Hugo Heiji, CEO da Ploog, fala sobre o prêmio

Smart i9 e Fleety

Também foram premiadas outras duas empresas, a Smart i9, em segundo lugar e a Fleety, que ficou na terceira posição.

A Smart i9 é uma startup de Juiz de Fora, Minas Gerais, que apresentou uma solução para comunicação de dados de redes elétricas, utilizando uma combinação dos meios sem fio e com fio.

Já a Fleety, terceira colocada, é uma empresa de Curitiba, Paraná, que desenvolveu um aplicativo para o compartilhamento de veículos, ajudando a diminuir o número de carros nas ruas e possibilitando mais alternativas de mobilidade para aqueles que não tem carro.

As duas start-ups vão receber consultoria jurídica e financeira, além de mentoria de uma empresa de venture capital e premiações dos parceiros da rede Desafio Brasil. Clayton Guimarães, COO da Fleety, não conteve a emoção ao receber o resultado: “A sensação deste momento é indescritível. É o fim de um início e o Desafio Brasil e a Open Innovation Week são um divisor de águas nesse caminho. O prêmio nos traz visibilidade e, mais do que isso, levamos o network e os amigos que aqui fizemos”.

Diogo Fernandes, sócio-administrador da Smart i9, também ressalta a importância de eventos como a OIW para o amadurecimento das startups brasileiras. “Esses eventos de empreendedorismo que estão surgindo no Brasil incentivam o crescimento das startups e são muito benéficos para o ecossistema. O network que a gente faz e os contatos com investidores e outros empresários são fundamentais para parcerias estratégicas de negócios”, conta.

Clayton Guimarães, COO da Fleety:

Diego Fernandes, CEO da Smart i9

SeedStars World

O SeedStars World (SSW) é um evento que reúne as startups mais promissoras do mundo, entre mais de 30 países participantes. As startups vencedoras de cada país se apresentam em Genebra, na Suíça, para concorrer a um investimento de mais de 500 mil dólares no projeto.

“O objetivo da competição é crescer para todos os cantos do mundo e colocar as startups no mapa de negócios internacional, facilitando conexões para os empreendedores de qualidade que encontramos e os agentes de inovação”, afirma Alisee de Tonnac, CEO da SSW.

Desafios de Inovação

Outras três empresas foram premiadas em desafios paralelos, propostos por empresas parceiras interessadas em conhecer soluções para as suas áreas de atuação. Foram três categorias: o Desafio E-Health, proposto pelo Hospital Albert Einstein e Laboratório Fleury; o Desafio de Educação, com o Senai, Estácio de Sá, Fundação Getúlio Vargas e Metodista à frente; e o Desafio Cidades Inovadoras, comandado pela Effectua Capital.

A vencedora do Desafio e-Health foi a Lifee Solutions. Essa start-up, que é liderada por mulheres e incubada na Universidade Federal de Ouro Preto (MG), desenvolveu dois dispositivos de baixo custo para auxiliar na eficiência de tratamento fototerápico neonatal da doença Kernicterus. A doença, comum em recém-nascidos, pode deixar sequelas graves se não for tratada corretamente. Além do prêmio do e-Health, a empresa também foi convidada a participar do edital de inovação do Senai.

Já a vencedora do Desafio de Educação foi a EngagED, start-up de Curitiba que criou uma plataforma de gestão e relacionamento para expandir e profissionalizar a educação.

Quem levou o destaque do Desafio Cidades Inovadoras foi o MOBQI, que traz um aplicativo com soluções de mobilidade para todo tipo de usuário, de taxistas à pedestres. Pelo aplicativo é possível solicitar um táxi, saber qual ônibus tomar para fazer um determinado trajeto e até quantas calorias o usuário perderia se fosse de bicicleta.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>