Quais os desafios de acelerar negócios em cenários de crise econômica e como as aceleradoras lidam com isso?

foto_PedroWaengertnerPedro Waengertner
Aceleratech

Crises vem e vão. É um aspecto do mercado. Uma coisa que sempre dizemos aqui na Aceleratech é que faturamento e lucro nunca saem de moda. Acreditamos que o propósito de uma aceleradora é, mais do que preparar a empresa para receber investimentos, torná-la sustentável do ponto de vista financeiro. Creio que o primeiro conselho é organizar a oferta e a estratégia de vendas de modo a conseguir chegar no ponto de equilíbrio (break-even) o mais rápido possível. O melhor financiamento é sempre aquele feito pelos próprios clientes do negócio.Na hora de discutir a oferta, é importante ter a visão macro-econômica e entender que outros agentes do mercado também serão afetados pela crise, naturalmente cortando custos de áreas não essenciais ao negócio. Portanto, é fundamental que a oferta da startup esteja muito alinhada a um destes dois alicerces: cortar custos ou aumentar receitas. Se for algo supérfluo, a tendência é que tenha muito mais dificuldades de monetizar. Por último, é importante que o mercado escolhido seja grande suficiente e menos afetado pela crise. São decisões duras, porém fundamentais para a sobrevivência do negócio.”
+info: http://aceleratech.com.br

foto_BedyYangBedy Yang
Br Innovators

Empreendedores trabalham bem com recursos escassos e crise econômica muitas vezes pode significar novas oportunidades. Além disso, grandes empresas e investidores institucionais também estão mais abertos para fazer parcerias e escutar novas soluções quando sentem que a economia não está tão bem. Por outro lado, o capital se torna muito mais escasso para apoiar inovação, pois a maioria dos investidores prefere preservar capital, embora melhor fosse aproveitar para investir nas oportunidades geradas pela crise.A escassez do capital dificulta o trabalho das aceleradoras. Para muitas, uma das métricas principais é a quantia de capital que as empresas captam com outros co-investidores, pois isso normalmente permite que as startups possam sobreviver por um tempo maior no mercado e investir no produto, equipe e distribuição. Na “500 Startups”, por exemplo, todas as empresas que buscaram capital fora conseguiram investimento adicional. O importante não é quanto a empresa capta, mas sim o resultado de longo prazo, mas capital investido de curto prazo compra tempo para as startups. A recomendação para as empresas em crise e com recurso limitado é chegar no break even (ponto de equilíbrio) o mais rápido possível, pois depois as que sobreviverem estarão muito bem posicionadas no mercado. É como a letra da música “What doesn’t kill you makes you stronger” (o que não mata te faz mais forte).
+ info: http://www.brazilinnovators.com

foto_JuanBernaboJuan Bernabó
Germinadora

A Germinadora não foi pensada como uma aceleradora convencional. Nossa ideia é criar negócios que sejam bons desde o começo, lucrativos, e que não necessitem de injeção de capital o tempo inteiro. Nosso foco são empresas que tenham margem, que resolvam problemas reais de pessoas reais, ou seja, mesmo em um cenário de crise econômica, você vai precisar daquele tipo de serviço. Somos independentes financeiramente, então não há pressa de em 2 anos sair de alguma empresa (à qual nos associamos), somos um investidor paciente.Quando viemos para o Brasil, achamos mesmo que não seria fácil lidar com questões macroeconômicas. Na crise mudam os índices, alguns negócios se tornam realmente inviáveis para atores que só funcionam com o mercado em “subida”. Algo interessante que fazemos a cada 3 meses é rodar um programa para descobrir negócios que funcionam fora desse cenário economicamente problemático e que circundem tal problema, oferecendo soluções para eles.
+ info: http://www.germinadora.com

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>