Pesquisa inovadora com pimenta-de-macaco vence prêmio promovido pela Natura

Ingrediente usado em repelente natural contra mosquitos da dengue e da malária vence Prêmio de Ingredientes Vegetais da empresa.

Para reconhecer e incentivar pesquisadores da região Amazônica, o Natura Campus, programa da Natura que busca a ampliação e o desenvolvimento da ciência, inovação e tecnologia por meio da promoção de parcerias e conexões em rede, realizou a 1ª edição do Prêmio de Ingredientes Vegetais.

A vencedora foi a pesquisadora Ana Cristina da Silva Pinto, bolsista do Programa de Capacitação Institucional (PCI), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (IINPA). O ingrediente escolhido por ela foi a pimenta-de-macaco (Piper Aduncum), que está sendo aplicado de maneira inovadora como repelente e inseticida natural no combate aos mosquitos da dengue e malária.

“O prêmio de ingredientes vegetais contribui e fortalece nossa estratégia de desenvolver o cenário científico local, valorizando e reconhecendo um dos grandes potenciais de pesquisa e inovação da Amazônia, a biodiversidade”, destaca Luciana Hashiba, gerente de Gestão e Redes de Inovação da Natura.

A pesquisa de Ana Cristina surgiu como um projeto de mestrado, em 2002, e teve continuidade em seu doutorado, no período de 2003 a 2008, na Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Ela revela que, assim que o edital para o prêmio de Ingredientes Vegetais foi lançado, em setembro de 2013, surgiu o interesse em participar da premiação. “Vencer a premiação concorrendo com pesquisadores de toda a Amazônia foi muito importante! É um reconhecimento da minha carreira como pesquisadora recém-formada”, comenta.

Ela informou que graças ao prêmio, no valor de R$ 30 mil, será possível investir na continuidade da pesquisa, além de ampliar o estudo para produtos com outras espécies de plantas.

Todas as propostas foram avaliadas por uma banca científica composta por três pesquisadores da Natura e dois pesquisadores da área de produtos naturais e farmacognosia que se reuniram em Manaus para avaliação cuidadosa do material. O processo de avaliação focou na qualidade dos ingredientes apresentados, independente da aplicação em cosméticos. A seleção também levou em consideração a quantidade de ingredientes utilizados na pesquisa.

“Os ingredientes utilizados pela vencedora possuem uma caracterização fitoquímica completa, incluindo seu fracionamento e estudos de sazonalidade da espécie em questão. Além disso, os estudos para aplicação biológica do ingrediente foram muito bem desenhados considerando um excelente número de replicatas e experimentos independentes o que aumenta a robustez dos dados apresentados e garante a confiabilidade dos resultados obtidos. Nós não nos preocupamos em uma aplicação cosmética inicialmente, pois queríamos reconhecer um trabalho científico na área que possuísse qualidade e representatividade na área de produtos naturais”, conta Patricia Moreira, gerente científico da Natura.

O Prêmio de Ingredientes Vegetais Amazônicos fez parte das ações de comemoração do aniversário de um ano do Núcleo de Inovação Natura Amazônia (NINA), que tem como missão estimular a formação de uma rede de pesquisas “na” Amazônia, “sobre” a Amazônia e “para” a Amazônia, envolvendo instituições de ciência e tecnologia local, nacionais e internacionais.

O NINA pretende envolver, até 2020, cerca de mil pesquisadores em rede, do Brasil e do exterior. Nos primeiros meses de atuação, foram firmados acordos para colaboração com quatro instituições que atuam na região como a UFAM, o INPA e a Embrapa. A parceria permitirá que as comunidades locais usufruam mais rápido das descobertas científicas.

Assessoria de Imprensa Natura
Ester Ferreira | (11) 3094-2258 |  ester.ferreira@bm.com

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>